Fotos do Bojão 3 Quake LAN Party: Aracaju, Brazil — July 23 – 25, 1999

[Note from Donde: In some web browsers it is possible to right click on the page and select, “Translate to English.”]

https://web.archive.org/web/20001102193111/http://www.bojao.com.br/index.htm

Fotos do Evento

https://web.archive.org/web/20010104224000/http://www.bojao.com.br/fotos.htm

Demos 4×4

Está é a “árvore” do torneio de Teamplay. Abaixo dela, você encontrará a relação dos jogadores de cada clã. Foram eliminados os 2 últimos colocados na partida de FFA classificatória, sendo eles o Sétimo Apocalipse (7A) e o Improviso Quake Clã (IQ), restando apenos o Clan Brazil (CB), o Head Hunters (HH), o Rapadura Family (RF) e o Good Boys (GB).

As disputas entre 2 clãs aconteciam em dois jogos consecutivos na DM3, de 20 min cada, com powerups e overtime de 5 min. Para definir o vencedor do clanfronto, somava-se os frags de cada clã nas duas partidas e o que obtivesse o número maior venceria.

https://web.archive.org/web/20001006092729/http://www.bojao.com.br/4×4.htm

Teamplay

O campeonato de 4×4 também foi bastante disputado, tanto na partida classificatória no Death32a, em que os HHs Dest e Stills superaram em números de frags os favoritos do CB Carlos e Zampano (Carlos jogou pelo CB com seu passe emprestado pelo Full – valeu, Full). Classificados a seguir estavam o RF (os sergipanos LAN-Only do Rapadura Clan) e os GB, ou “Good Boys”, que ficaram à frente e eliminaram o 7A e o IQ. O Good Boys foi um time mixto formado por Rampage (ex-RF), KillerBoy.Low, Alemão (a revelação do torneio) e o Raposão.TK, que cresceu muito durante a competição.

Os HHs foram amargamente surpreendidos pelos “bons garotos” e após uma vitória por apenas onze frags na primeira partida chegaram a estar 20 frags atrás na segunda. Mais emoção no torneio: será que os talentos individuais do GB superaria o entrosamento e a experiência do HH? Com muita raça o HH mostrou que não só de tática vive um time de Quake e conseguiram diminuir a larga vantagem, perdendo a segunda partida por apenas 6 frags, conseguindo uma apertadíssima vitória por 5 frags no placar geral.

No jogo RF e CB, os RFs não viram a cor da bola na primeira partida, mas surpreenderam na segunda, dando tudo de si e fazendo um bom placar contra um super-time que contava com Zampano, Carlos, Blaster e MaDDoX. Mas a lógica prevaleceu e a vitória foi do Clan Brazil.

Já na grande final entre HH e CB, o Clan Brazil sabia que estava seriamente desfalcado, já que Zampano teve de viajar antes do final do campeonato. Na primeira partida, o HH estava sendo massacrado até os 5 primeiros minutos de jogo. Só que o HH, aproveitando-se da formação mais “espalhada” do CB, conseguiu matar Carlos e Blaster, os quadmen do time.

Aí aconteceu a grande virada do HH, que de forma irreversível trancaram o mapa e conseguiram uma ampla vantagem de 50 frags ao final do jogo. O CB sabia que estava em apuros, e tirar 50 frags de um time extremamente competente como o HH seria quase impossível. Então optaram por recuar mais o time, saindo do red e com dois homens marcando o amarelo/rocket. Aí o jogo fluiu para o CB, apesar da forte resistência do HH, que sabendo “desaparecer” durante os inúmeros quads do CB, garantiram que o CB não disparasse no placar. O CB ganhou a segunda partida por cerca de 30 frags, mas a vitória final por soma de frags ficou com o time de Recife, que aliás, está de parabéns.

O terceiro lugar ficou com os Good Boys, após outra excelente atuação sobre o rapadura. A proximidade dos placares prova o equilíbrio e alto nível dos jogos, emocionantes e combativos até o final.

https://web.archive.org/web/20010415031012/http://bojao.com.br/ata3.htm

Demos 1×1

1000 desculpas, mas VÁ PRA *$%#&@ quem inventou Double Elimination. Quem conseguir fazer a árvore (ou melhor, trepadeira, pois nunca vi tanto galho) do Braço dos Perdedores ganha meu computador, meu carro, minha casa… Para facilitar, em vez de uma árvore, segue mais abaixo uma tabela de todos os jogos.

O campeonato começou dividindo-se os jogadores em 3 grupos (dois de 11 jogadores e um de 10) para partinas classificatórias FFA no mapa Death32a. Depois o resultado dos jogos foi jogado no DET (Double Elimination Tournament), programa desenvolvido por Blaster para gerenciamento de torneios, que gerou a lista por colocação e deu início ao sistema Double Eliminatiom.

Pra ser bem resumido, o sistema Double Elimination estabelece que há um braço principal (Vencedores) no qual todos os competidores começam. Quem perder 1 partida nesse braço vai para o Braço Secundário (Perdedores) e vai jogando com quem também já perdeu 1 partida. Se perder mais uma vez, está fora da competição. Ao final da competição, o vencedor do Braço Principal enfrentará o vencedor do Braço Secundário. Entretanto, para vencer o torneio, o vencedor do Braço Secundário, que já perdeu uma partida, deverá vencer o vencedor do Braço Principal 2 vezes, já que este último ainda não perdeu nenhum jogo.

https://web.archive.org/web/20000818193937/http://www.bojao.com.br/1×1.htm

O Torneio 1×1

Um imprevisto, a falha de um dos disjuntores, deixou 1/3 dos micros sem energia por várias horas e comprometeu o andamento normal do campeonato. Como era secundário, o torneio de Rocket Arena teve que ser cancelado.

O torneio de 1×1 foi a grande atração e foi de um ótimo nível de competitividade entre os participantes. Favoritos absolutos eram surpreendidos por “pedreiras” inesperadas de nomes desconhecidos na net – que, entretanto, se prepararam como nunca em rede. A partida entre Zampano e Alemão na E1M2 dificilmente será esquecida pelos que a assistiram – e jogaram -, com DUAS prorrogações de 3 minutos para decidir o jogo a favor de Zampano, por apenas 1 mísero frag!

Mais impressionante ainda foi o jogo entre Blaster e McQuase, em que o favorito Blaster foi surpreendido pela garra de Quase, que lutou até o final para tirar a diferença de dois frags a favor de Blaster, conseguindo empatar no finalzinho e fazendo o frag da vitória faltando apenas 30 segundos pra acabar! Gritos e palmas para os valentes guerreiros foi só o que se ouvia no ginásio do Graccho depois da incrível partida.

Espetacular também a partida entre Rampage e Zampano na DM2, em que Rampage segurou o placar de 4 x -1 por mais de 15 minutos e, faltando cerca de 90 segundos para o término da partida, Zampano saiu do negativo para a vitória por uma vantagem de 2 pontos.

Outro sergipano, Supreme, teve também uma excelente atuação na DM2 na partida contra Dest, estando à frente no placar durante todo o jogo, só não resistindo no final à agressividade do pernambucano.

Mas, como em toda grande competição, o melhor ficou para o final. Todos estavam de olho no favorito Carlos, que vinha tranqüilo para a decisão, com uma atuação excelente, como era de se esperar. A partida entre Zampano e Carlos foi duríssima, em que Zampano, segundo as próprias palavras de Carlos, o “fritou como nunca com o Shaft” e que ele só abriu vantagem após um longo empate em 4-4. Carlos já havia ganho o braço dos vencedores sobre Dest e após a vitória de Dest sobre McQuase no braço dos perdedores na DM6, acreditava-se que a grande final entre Carlos e Dest seria fácil. Para surpresa de todos, foi um dos jogos mais espetaculares do Bojão, com uma excelente saída de Dest fazendo rapidamente 2 x -1 em Carlos. Carlos recuperou-se e abriu vantagem até o meio da partida, com sua precisão e desconcertantes Rocket Jumps. Carlos, entretanto, não contou com a agressividade do pernambucano, que já tinha lhe dado a vitória contra Supreme e mais uma vez brilhou como nunca na hora da virada. Faltando 6 minutos para o final da partida, Carlos parecia que iria perder o controle, olhando incrédulo para o placar desfavorável e repetindo: “Não posso perder!”. A adrenalina de todos os presentes foi a mil, e, após batalhas inesquecíveis entre os dois, ponto a ponto, a experiência de Carlos por fim superou Dest num placar de 21 x 16, num jogo do mais alto nível que se poderia imaginar. Carlos ganhou mais um título, mas dessa vez ele realmente suou, refletindo o alto nível da competição. Levou a disputada Voodoo2, o troféu do torneio, a medalha de ouro e a camisa do Bojão 3 – além do merecido reconhecimento como o melhor jogador do Brasil.

https://web.archive.org/web/20010415030105/http://bojao.com.br/ata2.htm

Entrevista com Carlos

MaDDoX: Carlos, você é considerado o melhor jogador brasileiro, o que você tem a dizer do nosso nível em relação aos europeus e aos demais jogadores de países como EUA e Australia?

Carlos: Realmente é difícil fazer uma comparação, pois eu acho que só podemos comparar jogando uns contra os outros, mas, em relação a demos, posso dizer que temos maneiras diferentes de jogar, na TGI, vi táticas agressivas, nós brasileiros somos mais conservadores, respeitamos nossos adversarios ao máximo. Mas tenho certeza que não estamos nem um pouco atrás tecnicamente dos paises citados acima.

MaDDoX: Nós vimos miras absolutamente incríveis de jogadores como Lakerman e Kane, algo extremamente importante. Como você compararia a mira dos melhores jogadores brasileiros aos destes jogadores?

Carlos: Acho que se chega a um nivel de mira em que não dá mais pra melhorar. A elite brasileira está de igual para igual com eles, pois se você não erra 1 tiro, como pode melhorar? Agora temos um diferencial, enquanto eles preferem usar o shaft no ar nos usamos o rocket no ar, e não erramos. Somos obrigados a treinar com uma media de ping extremamente alta na Internet, e mesmo assim acertamos nossos rockets no ar :)

MaDDoX: Falando de qualidade de Internet, uma coisa em que obviamente estamos em desvantagem em relação aos estrangeiros é na velocidade de acesso. Isso obviamente restringe o número de pessoas que podem jogar com “perfeição”, e daí temos menos concorrência qualificada. Como você analisaria isso?

Carlos: Antes de mais nada, eu não diria que estamos em desvantagem no acesso, diria que estamos na idade da pedra :))

Realmente isso é um grande problema, tanto que temos no Brasil os “jogadores de Internet”, pessoas que jogam bem com ping alto e chegam em rede, são um desastre. A Internet influencia e muito nisso, como vi em alguns demos dos jogadores do [9] que jogam na Internet com ping 20, o mesmo ping com que jogamos em rede, ou seja, sempre tem um padrao, não precisam ficar se “adaptando” ao ambiente.

No Brasil temos uma diferença de ping incrível entre um jogador e outro, tornando na verdade, uma disputa quase sempre desigual.

MaDDoX: Observando seus demos, é bem notável que você usa um sensitivity alto. Após a sua participação no TGI, Reload, jogador australiano, resolveu baixar bastante seu sensitivity, vendo como os demais participantes jogavam. O que você diria disso??

Carlos: Eu acho que a pessoa deve jogar com o sensitivity que achar melhor. Eu vi demos do Reload e realmente o sensitivity dele era muito alto, eu uso 11.5, mas minha movimentacao tb é bem rapida. Realmente não tenho muito o que falar disso, pois acho que cada um usa o de sua preferencia. Quanto ao Reload, ele mudou a sensitivity dele, mas todos falaram que no rocket x rocket ele não perdia para ninguem.

MaDDoX: Evidentemente, devido ao sensitivity alto, você sempre perde um pouco na qualidade do shaft, isso não assusta com o alto niível internacional do shaft, especialmente o dos privilegiados de conexão como os europeus??

Carlos: No brasil existe um grande problema em relacao a isso, como a conexao é terrivel, o shaft RARAMENTE é usado, eu pessoalmente, como vi também em demos do Reload (que alegou o mesmo problema) não uso muito o shaft, mas acho que você pode compensar bastante o sensitivity alto com os strafes, e você pode ter certeza que também faz um grande estrago :)))

MaDDoX: Falando nisso, uma coisa que fica realmente evidente nos demos internacionais é que os europeus e americanos são, como diríamos, um pouco “duros” e previsiveis na movimentação, o que facilita serem acertados. Quanto de vantagem você acha que a superior acapacidade de esquiva do brasileiro o favoreceria num torneio internacional?

Carlos: Vamos dizer que falta pra eles a “ginga” brasileira como a do drible no futebol, não os desmerecendo :), mas uma esquiva boa é ESSENCIAL, pois se você não é atingido, você tem muito mais chances de se sair soberano num confronto direto. Também vejo, entretanto, várias vantagens na movimentação deles, eles são muito rápidos em chegar de um lugar para outro, com os pulos usando strafe, isso nem todos os brasileiros fazem, enquanto parece haver uma hegemonia sobre isso lá fora.

MaDDoX: Aproveitando a sua comparação com o futebol, a mira européia no Quake me lembra a mesma precisão que eles possuem em lançamentos de longa distância. Mas no futebol, na prática, o que se percebe é que a capacidade brasileira de lidar melhor com confrontos de curta distância acaba lhe dando vantagem. De alguma forma isso é percebido tambémb no Quake. O que você acha disso?

Carlos: Você fez uma comparação perfeita :) mas não podemos dizer nada enquanto não nos confrontarmos, brasileiros x estrangeiros, mas como disse não acho que os brasileiros percam em nada na mira

MaDDoX: Assim como tb não lançamos nada mal no futebol :)

Carlos: :))))

MaDDoX: Bom, pra concluir, eu gostaria que você dissesse qual é a sua visão do cenário do Quake no Brasil no momento, suas perspectivas, e se você acha que o Quake, já bem estabelecido como um padrão internacional, pode ser tão rapidamente substituído pelo Quake 3, como o WDT está presumindo.

Carlos: Bem, teremos qe esperar pra ver, mas não acredito que outro jogo tenha a “emocão”, jogabilidade e agilidade do Quake1, nenhum jogo irá se igualar ao Quake e sim comparar-se a ele. Eu posso até queimar minha lingua, mas é esperar para ver :)

MaDDoX: E quanto ao cenario nacional e suas perspectivas?

Carlos: Bem, o Quake brasileiro tem vários talentos, só que não são nem um pouco divulgados no exterior, por varios motivos. Não temos recursos para jogar contra gringos, pois nossa Internet é precária, além de os brasileiros terem o mal costume (como eu tb) de não gravar demos nem distribuí-los (estou tentando me corrigir nesse ponto). Saímos prejudicados pois num evento como a TGI, só são convidados os “mais conhecidos” jogadores de 1×1 do mundo.

MaDDoX: Ok Carlos, obrigado pela entrevista e você fica nos devendo um demo de uma dessas suas famosas partidas em que você não erra um tiro! ;)

Carlos: Obrigado a você :).

https://web.archive.org/web/20010422194427/http://bojao.com.br:80/b3/carlos_entrevista.htm

Questòes mais freqüêntes

O que será o Bojão 3?

Será um campeonato multiplayer de Quake. Na verdade serão dois campeonatos oficiais: um da modalidade Mano a Mano (1×1) e outro Teamplay (4×4). Um campeonato como este é disputado numa rede local de computadores (LAN), que possibilita resposta imediata no jogo, prevalecendo a habilidade do jogador, sem o lag presente em jogos pela Internet. Mas se tudo isso é novo pra você, então é melhor treinar muito antes de vir enfrentar os melhores jogadores de Quake do Brasil.

Quando e onde vai ser o Bojão 3?

Acontecerá dos dias 23 a 25 de julho de 1999, em Aracaju-SE. Mais informações sobre o local do evento aqui.

Quanto devo pagar para participar do Bojão 3?

A única taxa será de R$ 15,00, para cobrir custos de instalação elétrica e de rede, aluguel do local e de mesas e cadeiras e pagamento dos seguranças. Este valor poderá ser reduzido, a depender da confirmação de outros patrocinadores. Detalhes sobre a forma de pagamento serão divulgados quando tiverem início as inscrições.

Não tenho onde ficar na cidade e não tenho dinheiro para me hospedar em hotéis. Como devo proceder?

Estamos providenciando um local para hospedagem, bem como pacotes com pousadas e hotéis a fim de obter diárias a preços reduzidos. Quando fecharmos acordo, divulgaremos aqui.

Moro em outro estado. Tenho que levar o meu micro para participar do campeonato?

Não é necessário levar o micro. O que é obrigado levar para o campeonato é o seu mouse, mousepad, arquivo de configuração do quake e o seu fone de ouvido.

Moro em outro estado e vou levar o meu computador. Precisarei levar um monitor e um estabilizador?

Não. A NetDados Internet Provider garante um número suficiente de monitores e estabilizadores para os computadores de jogadores de outros estados.

Eu não moro em Aracaju e não conheço a cidade, por isso gostaria que alguém me levasse ao local do campeonato. Isso é possível?

Alugaremos vans para o translado de jogadores de outros estados. Para os que vão precisar de transporte, entrem em contato com o Blaster informando a data e hora de chegada na rodoviária ou aeroporto.

Resido em Aracaju, mas meu papai não deixa eu levar o computador. Posso participar?

Não. Jogadores de estados mais próximos estarão trazendo suas máquinas. Então quakers que residem em Aracaju têm obrigação de trazer seus computadores.

Eu não tenho Clã, mas gostaria de participar do Teamplay. Isso é possível?

Na seção Inscrições disponibilizaremos a lista dos jogadores inscritos, com seus respectivos e-mails e se eles estão ou não em algum clã. Nós recomendamos aos jogadores que estão sem clã conversar com outros que também estão nesta situação e tentar formar um time para o Teamplay. Lembramos que o time tem que ser de 4 jogadores.

O Bojão 3 será em Net Quake ou Quake World?

Será em Net Quake, uma vez que este mostra-se mais adequado para redes locais. Não será necessário a utilização do Quake World uma vez que a estrutura planejada para a rede eliminará a possibilidade de lag.

O que é esse tal de Double Elimination?

Double Elimination é um ótimo método de classificação justo para campeonatos rápidos e com muitos participantes, pois mesmo perdendo uma partida durante o campeonato todos ainda tem chance de vencer. Esse método funciona da seguinte forma: todos jogam como se fosse um campeonato eliminatório, mas os que perdem uma partida na “braço” principal do campeonato entram num “braço” secundário, dos jogadores que já perderam uma partida. No “braço” secundário, quem perder uma partida estará realmente fora do campeonato. Na partida final, o jogador do “braço” principal terá que ser derrotado duas vezes pelo ganhador do “braço” secundário, ou o jogador do “braço” principal derrotará em somente uma partida o oponente do “braço” secundário, para assim definir o campeão.

https://web.archive.org/web/20010824021241/http://bojao.com.br/b3/faq.htm

Títulos Especiais do Bojão

O Louco do Bojão: Zampano.CB

Zampano teve uma parada dura contra a alopração de Abroba e só venceu a parada por ter narrado todo o jogo – enquanto jogava – durante a partida classificatória de FFA do teamplay. Seus gritos de ” Argh! Argh! Mil vezes Argh! Eu disse AAARGH! ” foram inesquecíveis :)

A Revelação do Bojão: Alemão

Sem dúvida nenhuma. Levou os experientes Zampano e Blaster à beira da loucura, deu tiros fantásticos, não foi derrotado por mais de dois frags, jogou feito um animal no teamplay pelo GB, arrepiou nos treinos de Rocket Arena da galera, mesmo contra McQuase… Dá-lhe Alemão, continua assim garoooto! =)

O Prego do Bojão: Lalo.ZX

O que mais fez os finalistas votantes perderem a paciência – e, às vezes, a cabeça! É Lalo, o troféu abacaxi do ano ficou contigo, mano :)

O Gente-Boa do Bojão: Raposão.TK

Alguém que é capaz de contar uma piada no meio da decisão do terceiro lugar do teamplay tinha que ficar com o título. Fora o fato de que ele é um gente-fina incansável. Valeu RAPOSAAAA! ;)

O Zonado do Bojão: Yankee.HH

Quem teve que agüentar mais tiração de sarro no torneio? Neste item a disputa foi dura entre Raposão e Yankee, mas o título ficou com… YANKEE!! Um momento decisivo foi quando Dest largou o mouse e o teclado pra tirar onda da cara dele depois dele morrer inexplicavelmente e sem esboçar reação, cedendo o RL da virada do GB nas semi-finais do teamplay. Fora as histórias “cabulosas” que o Dest contou sobre ele. Aguardem AVIs comprovando este merecido título :)

O Falastrão do Bojão: Dest.HH

Bom.. quem o conhece já sabe que ele não podia perder esse título: DEST!!! O pernambucano bateu seu próprio recorde ao, durante um rodízio de pizza na véspera do início do torneio, falar SEIS HORAS SEGUIDAS! Incrível. Mas não se assustem, ele falou um pouquinho de coisas não-Quake :)

O Comilão do BojãoChitão.7A

Esse então nem se fala. Eu já tinha ouvido falar, a sua fama o precede, mas observar a “criança” se alimentando é, no mínimo, estarrecedor: CHITÃO.7A! Só pra citar um exemplo, no domingo ele comeu 10 fatias de pizza seguidas, tomou quase dois litros de refrigerante, comeu um sundae do McDonald’s e depois ainda saiu falando: ” Dá pra passar na Select pra pegar uma coxinha? “. Precisa dizer mais alguma coisa? Diz aí pra gente Chitão, como é que você consegue ficar tão MAGRO (proporcionalmente)? :)

Esses títulos foram votados pelos finalistas do Bojão 3 e ficam como um agradecimento e reconhecimento especial a todos os que fizeram a nossa diversão ser multiplicada por 1000! Valeu galera!

https://web.archive.org/web/20010217002000/http://www.bojao.com.br/ata5.htm

Conclusão

O Bojão 3 foi inesquecível em todos os sentidos, tanto nas amizades que foram feitas, por pessoas de lugares tão distantes, quanto para colocar os devidos “pingos nos ‘i’s” de quem joga o quanto.

De tudo, só ficamos tristes com a desistência de vários jogadores, seduzidos por uma sinistra campanha de esvaziamento promovida por pessoas inescrupulosas e que só visam o lucro fácil em “eventos” de quinta categoria. Temos a certeza de que promovemos um campeonato que, com todos os problemas normais a um evento grande e ambicioso como este, cumpriu com suas promessas de prover a melhor estrutura, num ambiente limpo e com ventilação adequada, e uma rede tão perfeita que os jogadores só lembravam que ela existia quando eram perguntados sobre a mesma. Demos toda a atenção, condições de jogo e RESPEITO que os jogadores de Quake nacional merecem, e aos que não acreditaram em nós e preferiram acreditar em eternos fracassados, só temos a desejar boa sorte em conseguir coisa melhor.

Mas o que vai ficar em nossas mentes será tudo de bom que aconteceu. E não foi pouco. A nível de Quake, numa Internet infestada de bots, proxys e cheaters, fica praticamente impossível saber quem realmente joga e quem fica apenas babando na frente do monitor, comendo pipoca enquanto seu “robozinho” faz o serviço em seu nome. É – também – pra isso que um grande campeonato em rede como esse serve, e comentários sarcásticos como ” Pô, esse cara não sabia jogar na net?? >) ” foram bastante ouvidos.

Só temos a agradecer à super-galerinha do HH, que de forma alegre e descontraída entraram no clima do torneio, assim como os “loucos” da Bahia, Zampano, Abroba, Chitão, Dudu e Fedelho. E como não citar Raposão.TK, com suas corajosas 44 horas de ônibus para vir a Aracaju (e mais 44 na volta), além de sua super simpatia.

Carlos foi uma surpresa para a maioria das pessoas. Quem imaginava um campeão metido e insuportável, que iria sentar em sua cadeira calado e com cara feia, se surpreendeu ao conhecer um cara super-gente-boa, que independente de quantos mil frags colocasse sobre seus adversários, ia até ele ao final da partida cumprimentar e dizer: “Bom jogo, cara!”. Isso pra não comentar o fato dele ter jogado em cinco máquinas diferentes, e da mesma forma impressionante. O Carlos não provou apenas ser o melhor do Brasil, mostrou ser um exemplo de competência e modéstia, e todos os quakers que não jogam nem metade do que ele deveriam se inspirar no seu exemplo.

O Bojão 3 foi tudo isso aí e muito mais, que meras palavras não podem expressar. O Bojão 3 foi simplesmente – nada menos que o máximo.

Breve aqui os demos, fotos e AVIs do Bojão 3. Aguarde!

https://web.archive.org/web/20010217002828/http://www.bojao.com.br/ata6.htm

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.